Minha lista de blogs

quarta-feira, 17 de janeiro de 2018

É DE VÓS QUE ESPERO O ÚNICO BEM QUE ALMEJO ( por SÃO BERNARDO CLARAVAL)


Doce Virgem Maria, creio tão firmemente que, do alto Céu, velais dia e noite por mim e por todos quantos em Vós confiam, estou tão intimamente convencido de que jamais poderá faltar algo a quem tudo espera de Vós, que resolvi viver doravante sem qualquer apreensão, deixando por inteiro a vosso cargo todas as minhas inquietudes.

   Doce Virgem Maria, Vós me firmastes na mais inabalável confiança. Mil vezes obrigado por tão preciosa graça! De agora em diante, permanecerei em paz, apoiado em vosso Coração tão puro; não me preocuparei senão de Vos amar e Vos obedecer, enquanto Vós mesma, ó boa Mãe, cuidareis de meus mais caros interesses.

   Doce Virgem Maria, que dentre os homens alguns procurem nas riquezas ou em seus próprios talentos a felicidade; que outros se apoiem na inocência de sua vida, no rigor de sua penitência, no fervor de suas orações ou no grande número de suas boas obras; quanto a mim – pobre pecador, que não tenho senão meu pouco amor –, esperarei somente em Vós, depois de Deus, e o fundamento de minha esperança será minha confiança em vossa maternal bondade.

   Doce Virgem Maria, poderá a perversidade humana roubar minha reputação e os poucos bens que eu possua; poderão as doenças tirar-me as forças e a capacidade externa de Vos servir; infelizmente, ó minha terna Mãe, poderei eu mesmo, pelo pecado, perder vossas boas graças; mas minha amorosa confiança em vossa bondade materna, esta jamais perderei! Não, nunca a perderei! Conservarei esta inabalável confiança até exalar meu último suspiro. Todas as forças do inferno juntas não serão capazes de me roubá-la. Morrerei, ó boa Mãe, repetindo mil vezes vosso nome bendito, depositando em vosso Coração toda a minha esperança.

   E por que estou tão seguro de confiar sempre em Vós, senão porque Vós mesma, dulcíssima Virgem, me ensinastes que sois toda misericórdia, nada mais que misericórdia? Portanto, ó bondosíssima e amantíssima Maria, estou seguro de que sempre Vos invocarei porque sempre me consolareis; sempre Vos agradecerei porque sempre me aliviareis; sempre Vos servirei porque sempre me ajudareis; amar-Vos-ei sempre porque me amareis sempre; de Vós sempre obterei tudo, porque sempre vosso magnânimo amor ultrapassará minha esperança.

   Sim, ó doce Virgem, é somente de Vós que, apesar de meus pecados, espero o único bem que almejo: a união com Jesus no tempo e na eternidade. Exclusivamente de Vós, porque sois Vós a escolhida por meu divino Salvador para me dispensar todos os favores e a Ele conduzir-me com segurança.

   Sim, minha Mãe, sois Vós que, depois de me ter ensinado a compartilhar as humilhações e os sofrimentos de vosso Divino Filho, me introduzireis em sua glória e suas delícias para, junto a Vós e convosco, louvá-Lo e bendizê-Lo por todos os séculos dos séculos. (Revista Arautos do Evangelho, Maio/2017, n. 185, p. 24 à 25)

SÃO BERNARDO. Acte d’aveugle abandon et d’amoureuse confiance en la douce Vierge Marie.
In: DENIS, Gabriel. “Le Règne de Jésus par Marie”.
3.ed. Luçon: S. Pacteau, 1873, p.242-244


“ASSIM ESTARÁS AO LADO DE MINHA MÃE”


Um homem miserável estava rezando, consciente de sua pobreza. Eis o que dizia a Deus:

“Eu não sou digno de entrar em teu Reino, mas, pela tua Misericórdia, eu sei que tu não podes me fechar a porta. Eu só te peço que me concedas o última lugar.”

E Jesus lhe respondeu: “Eu te concedo o último lugar, assim, tu estarás ao lado da minha Mãe.

Trecho de Une année avec la Vierge Marie, (Um ano com a Virgem Maria) Seleção de Olivier Bonnassies, em Presses de la Renaissance, Paris, 2009.

QUEM ERAM OS JUDEUS NA ÉPOCA DE N. S. JESUS CRISTO


Comentários sobre o contexto em que N. S. JESUS CRISTO viveu: o judaísmo, suas referências em Flávio Josefo, nos escritos da tradição judaica e no Novo Testamento.

terça-feira, 16 de janeiro de 2018

EM 1933, A BÉLGICA FOI DUPLAMENTE VISITADA POR MARIA (Fonte: Equipe de Marie de Nazareth)



A Bélgica, terra cristã, desde os primeiros séculos, possui numerosos santuários dedicados a Maria. Entre os mais conhecidos, dois, se caracterizam, hoje, como brilhantes, famosos e de renome internacional, por terem sido favorecidos no mesmo ano de 1933, seis anos antes da Segunda Guerra Mundial, por aparições da Virgem Maria:

1) Santuário de Nossa Senhora de Beauraing, perto de Dinant, onde, em 1932-33 Maria apareceu, vestida de branco e coroada com um diadema da realeza, tendo um Coração de ouro sobre o peito; ela se fez conhecer como a Mãe de Deus e Rainha dos Céus. A aparição foi reconhecida oficialmente, em 1949;

2) Santuário de Nossa Senhora de Banneux, onde Maria se apresenta como “Nossa Senhora dos Pobres”: este memorável lugar de oração à Santíssima Virgem, onde se apresentam mais de 600.000 peregrinos a cada ano, é um dos mais importantes do país. As aparições de Banneux são oficialmente reconhecidas pela Igreja.

Na Bélgica existem, igualmente, outros lugares de peregrinações marianas, destacando o de Nossa Senhora de Hal, e o de Nossa Senhora de Montaigu, também muito frequentados. De um modo geral, estes santuários marianos tiveram um aumento de visitantes a partir do século XX.


sexta-feira, 12 de janeiro de 2018

A IMAGEM DA VIRGEM QUE ABRIU OS OLHOS EM UMA PASSAGEM SECRETA DE ROMA


Foi como se ela tivesse despertado de um sono...
Em Roma, muito perto de um dos lugares mais visitados pelos turistas, o Campo dei Fiori e da Piazza Navona, fica uma passagem secreta, histórica, antiga e misteriosa, que guarda uma imagem da Virgem Maria. A imagem se tornou muito conhecida pelos acontecimentos de 1796.
Diz a tradição que essa passagem conduzia à entrada principal do Teatro Pompeu, no ano 55 a.C. Era um teatro imponente que, depois de vários incêndios, virou ruína. Até que a nobre família romana Orsini, durante o Renascimento, decidiu construir seu palácio no local, a fim de alojar hóspedes de honra.

No lugar onde antigamente havia o templo dedicado a Vênus, os Orsini construíram a igreja que hoje leva o nome de Santa Maria em Grottapinta. A igreja guardava uma imagem da “Madonna del latte” – a Virgem do Leite. Depois, a imagem foi trasladada para uma passagem chamada “Pasetto del Biscione” (Passagem da Serpente). O nome da passagem foi dado devido à serpente que estava representada nos escudos de armas da família Orsini.

Foi nessa passagem que, em 9 de júlio de 1796, ocorreu um fato milagroso extraordinário: A Virgem começou a abrir os olhos como se tivesse despertado de um sono profundo. Ela abria e fechava os olhos enquanto seguia, com seu olhar, todos os transeuntes, que se reuniram no local com grande assombro depois do anúncio de tal acontecimento.

O milagre se repetiu por algum tempo e muitos devotos queriam ver o curioso acontecimento. Para chegar ao local, era preciso ziguezaguear pelas estreitas ruelas romanas, que mais pareciam um labirinto. Muitos se perdiam. E é daí que nasce o ditado romano “andare a cercare Maria pe’ Roma”, ou seja: “ir procurar Maria por Roma”.

Depois que a imagem fechou definitivamente os olhos, foi trasladada em procissão até a Igreja de San Carlo ai Catenari, onde se encontra atualmente. No lugar dela, foram colocadas várias outras imagens da Virgem, já que elas eram destruídas por vândalos.

A passagem foi caindo no esquecimento. Mas no ano de 2014, um centro de estudos iniciou um trabalho de restauração do local. No lugar da “Madonna del latte”, foi colocada uma réplica da Virgem da Divina Providência.

Não deixe de admirar a imagem:

(Crédito das imagens: Ma. Paola Daud)





terça-feira, 9 de janeiro de 2018

UM EXORCISMO POR SÃO JOÃO MARIA VIANNEY - O CURA DARS !!!



Em Fevereiro de 1840, mais ou menos ao meio-dia, aconteceu um fato fantástico no confessionário do Padre Vianney. Uma mulher vinda de uma cidade próxima, Puy-en-Velay, ajoelhou-se para confessar, e a principio, as pessoas que aguardavam a sua vez, nada observou de anormal.

Como a mulher permanecesse calada, o Santo lhe pediu que ela se acusasse de suas faltas. Com uma voz estranha, ela disse: “Só cometi um pecado, e faço participante dele, todos que quiserem. Vamos, levanta a mão e me absolve. Tu a levantas para qualquer um, pois frequentemente estava junto de ti no confessionário e vi. Vamos”.

O Padre perguntou: “Quem é você”? Respondeu o demônio: “Magister Caput” (Mestre Cabeça, quer dizer, um chefe). E continuou dizendo: “Ah! Sapo negro (a cor da batina do Padre), quanto me fazes sofrer. Sempre dizes que vai embora para outro lugar, por que não vai de uma vez? Há outros sapos negros que me fazem sofrer menos do que tu. Vou escrever ao Monsenhor para que te faça sair”.

Disse o Padre: “Sim, mas eu farei que fique tremula a tua mão para que não possa escrever”... Replicou o demônio: “Eu te possuirei. Tenho ganhado a outros mais fortes do que tu. Ainda não está morto. Se não fosse esta... (Com uma palavra repugnante e grosseira se referiu a VIRGEM MARIA) que está aqui em cima, já te possuiria. Mas Ela te protege com este “grande dragão” (São Miguel Arcanjo) que está à porta da Igreja. Dize-me por que te levantas tão cedo? Desobedeces ao “veste roxa” (ao Bispo Diocesano).

Por que pregas com tanta simplicidade? Por isso é considerado um ignorante. Por que não pregas pomposamente, como se faz nas cidades”? Padre Vianney interrompeu aquele absurdo falatório impróprio, invocando a presença de JESUS, que fez o demônio desaparecer, deixando a mulher meio desfalecida, logo amparada pelos presentes.


Umas dez pessoas que aguardavam a vez de se confessarem, entre elas Maria Boyat e Genoveva Filliat, presenciaram e ouviram este impressionante acontecimento.

segunda-feira, 8 de janeiro de 2018

O SANTO QUE PREGOU O EVANGELHO MESMO COM A CABÇEA DECEPADA - SÃO DINIS DE PARIS, BISPO E PADROEIRO DA FRANÇA.

São Dinis – que também se pode chamar de “Dionísio" – foi morto em meados do século III, durante o curto reinado do imperador romano Décio. Os dois anos em que ficou à frente do Império foram suficientes para que sua crueldade fosse comparada à do terrível Nero. Em pouco tempo, ele fez incontáveis vítimas no meio do clero e entre os próprios fiéis, elevando à honra dos altares nomes como Santa Ágata, São Saturnino e o próprio Papa Fabiano.

Como morreu São Dinis? Durante o seu pontificado, São Fabiano enviou à então província da Gália sete missionários cristãos, dentre eles Saturnino, mandado a Toulouse, e o próprio Dinis, que se fixou na Lutécia, onde atualmente fica a cidade de Paris. A eloquência de Dionísio logo colocou em polvorosa os sacerdotes pagãos do local, que ficaram alarmados pelas várias conversões que ele, por obra de Deus, conseguia. Um edito do imperador Décio, exigindo que todos prestassem o culto a César, tornou fácil a captura de Dinis, que se destacava por sua coragem e fidelidade. Um dia, levaram-no ao alto de um monte e cortaram a sua cabeça e as de seus fiéis companheiros, Rústico e Eleutério.

O mais incrível é que, segundo a tradição, o bispo Dionísio ainda saiu do Montmartre – “monte do mártir", como ficou conhecido o lugar – e caminhou seis quilômetros, carregando a sua cabeça e pregando um sermão sobre o arrependimento, até chegar ao lugar onde foi enterrado. A iconografia cristã geralmente o retrata segurando a sua cabeça, ainda com a mitra. Hoje, o “apóstolo da Gália" é invocado pelo povo cristão contra dores de cabeça e possessões demoníacas, além de ser homenageado como um dos primeiros pais da França.

O seu impressionante testemunho ilustra como nem depois de mortos os santos se calam. Se, nesta terra, com a sua pregação e vida, Dionísio glorificou sumamente a Deus, chegando ao heroísmo do martírio, após a sua morte, ele mesmo encorajou muitos outros homens a darem a vida por Cristo, cumprindo a profecia de Tertuliano, para quem o sangue dos mártires era semente de novos cristãos.

É importante lembrar que as ofertas dos perseguidores para que os cristãos “livrassem a sua pele" eram coisas aparentemente simples. Daniel-Rops conta que os suspeitos de seguirem a Cristo eram “conduzidos ao templo e convidados a sacrificar aos deuses ou, pelo menos, a queimar incenso na frente do altar". Depois, caso persistisse “a acusação de cristianismo, o acusado era convidado a pronunciar uma fórmula blasfema, na qual renegava Cristo". Por fim, celebrava-se uma refeição, “uma espécie de comunhão pagã, em que os suspeitos deviam comer carne das vítimas imoladas e beber vinho consagrado aos ídolos" . Se fizessem qualquer uma dessas coisas, os cristãos se safavam e não eram mortos.

Diante de uma perseguição como a impetrada por Décio, pode-se imaginar como era grande a tentação de jogar um pouquinho de incenso diante dos ídolos. Afinal, um punhado de incenso, que mal poderia haver? Mas, os santos não se improvisam. “Quem quiser salvar sua vida a perderá; e quem perder sua vida por causa de mim a encontrará" (Mt 16, 25). Os carrascos que olhavam para os mártires certamente pensavam em seus corações que se tratavam de loucos, assim como a modernidade comumente pinta as imagens dos primeiros mártires como “suicidas", como se fossem homens desgostosos da vida, à procura da morte. À luz do Evangelho, no entanto, a entrega dessas pessoas não era simplesmente a renúncia da vida, mas a adesão à verdadeira Vida, por amor. O “não" de Dionísio, Rústico e Eleutério à idolatria, à blasfêmia e às carnes sacrificadas pelos ídolos foi, ao mesmo tempo, um belo e glorioso “sim" a Deus, ao Seu nome e à Sua vontade.

Hoje, talvez não nos seja pedida a entrega física dos primeiros mártires, que tiveram suas cabeças, braços e pernas decepados por causa de Cristo. Mas, sem dúvida, é-nos pedida a fidelidade de cada dia, pela qual todo cristão é sempre um mártir:

“Sendo muitas as perseguições, também são numerosos os martírios. Todos os dias és testemunha de Cristo. Foste tentado pelo espírito de fornicação; mas, por temor do futuro juízo de Cristo, julgaste que não devias manchar a pureza da alma e do corpo: és mártir de Cristo. Foste tentado pelo espírito de avareza para assaltar a propriedade do teu inferior ou para violar os direitos da viúva indefesa; todavia, meditando nos preceitos divinos, preferiste prestar ajuda a praticar injustiças: és testemunha de Cristo. (...) Foste tentado pelo espírito de soberba; mas, ao ver o pobre e o necessitado, compadeceste-te piedosamente e preferiste a humildade à arrogância: és testemunha de Cristo."

“Como são numerosos todos os dias os mártires ocultos de Cristo, os que confessam o Senhor Jesus! O Apóstolo conheceu este martírio e este fiel testemunho, ao dizer: É esta a nossa glória e o testemunho da nossa consciência."

Com os santos, aprendemos que “quem começa a servir verdadeiramente o Senhor, o mínimo que lhe pode oferecer é a própria vida", como ensinava Santa Teresa de Ávila.

Peçamos a intercessão de São Dionísio, para que nos ajude a sermos testemunhas de Cristo onde for: senão no alto dos montes, nas arenas dos leões ou no madeiro das cruzes, em nossas casas, em nossas escolas e em nossos trabalhos.

quarta-feira, 3 de janeiro de 2018

SANTA GEMA E AS TENTAÇÕES DIABÓLICAS QUE SOFRIA

O Diabo disse uma vez a Santa Gema: "Você pode rezar por si mesma, mas se você rezar pelos outros, eu vou fazer você pagar caro por isso". E em outra ocasião, o diabo disse a esta grande santa: "Enquanto age por si mesma, faça o que quiser, mas escute bem, não faça nada para a conversão dos pecadores, se você tentar, eu vou fazer você pagar caro por isso". O demônio pareceu afirmar para Gema que nossas Orações pelos outros são aparentemente mais frutificantes, do que quando nós rezamos por nossas necessidades, quando ele tentou uma nova tática para fazer com que Santa Gema considerasse sua própria alma em vez de outras, quando ele exclamou: "Como e de onde vem essa presunção? Você está carregada de pecados, e todos os anos da sua vida não basta para lamentar e expiar, e, no entanto, você perde tempo sobre os pecados dos outros? Não vê que sua própria alma está em perigo?" Através de tudo isso, ela foi brutalmente espancada e nunca parou de rezar para as pessoas, oferecendo-se como vítima para a raça humana como o Senhor e Salvador fez em Sua Cruz, sabendo que nenhum servo é maior do que seu Mestre. O diabo parecia estar em uma guerra pessoal com Santa Gema, que, durante um de seus ataques, começou horrivelmente amaldiçoando Deus e gritando "Guerra! Guerra contra você e seu diretor espiritual!". Isso continuou durante as noites, com o diabo zombando dela e de suas orações pelos outros, suportando tudo com a verdadeira paciência de um santo. O diabo causou-lhe o maior sofrimento blasfemando seu verdadeiro amor, Jesus Cristo continuamente, dizendo-lhe: "O que você está fazendo?", ele disse," quão estúpido é você rezando para esse malfeitor. Olhe para o mal que Ele faz, mantendo-a pregado à Cruz com Ele mesmo. Como então você pode se importar com ele? Todos que o amam Ele faz sofrer! O demônio fazia ela muitas promesas de felicidade terrena, se ela parasse de rezar pela conversão de outras pessoas, mas Santa Gema perseverou nos ataques dos demônios e ganhou uma grande vitória para a humanidade e garantiu um lugar exaltado no céu, juntamente com todos os santos de Cristo.
Santa Gema, rogai por nós.

quinta-feira, 28 de dezembro de 2017

SÃO JOÃO BATISTA escapa de morrer com os SANTOS INOCENTES - 28 de DEZEMBRO !!!

Ain Karen é uma cidade-vilarejo perto de Jerusalém. Segundo a tradição, é o lugar da “Visitação” e do nascimento de João Batista. Este era mais velho do que Jesus apenas seis meses e existe a lenda de que também ao ser vítima de Herodes. Perseguida por soldados assassinos, sua mãe Isabel buscou uma rocha no monte atrás da qual ocultou seu pequeno João antes que os soldados a alcançassem.
Quando os soldados a alcançaram, procuraram até atrás da rocha, mas não viram nada. Quando saíram, Isabel correu para buscar seu menino e descobriu que a rocha tinha aberto um espaço para dar lugar em seu interior ao pequeno perseguido e, assim, salvou João Batista. Na Basílica da Visitação, sobre o monte, guarda-se uma estranha rocha que recorda esta história.

Vilarejo de Ain Karem - Nascimento de São João Batista !!!

A igreja cruzada foi restaurada em 1621 pelo então Custódio da Terra Santa, o padre Thomas Obicini de Novara, mas só foi aberta ao culto em 1675. O actual edifício, projetado por Barluzzi é do 1939.
O nascimento de João Batista, Precursor do Senhor, é localizado no vilarejo de Ain Karem, nas proximidades de Jerusalém. Neste santuário comemora-se o nascimento de João, cujos pais anciãos, o sacerdote Zacarias e sua mulher Isabel, prima de Maria.
"E tu, menino, serás chamado profeta do Altíssimo, porque precederás o Senhor
e lhe prepararás o caminho". Luca 1, 57-80